Lean Healthcare - Exclusivo EAD

Lean Healthcare - Exclusivo EAD

  • 23 Horas de duração
  • 67 Aulas
  • 11 Módulos
  • 27 Avaliações
  • 1 ano de suporte
Parcele em 12x R$ 80,00 (ou R$ 960,00 à vista)
Comprar Agora Dê um passo adiante em sua carreira!
Hominiss Consulting

Cenário da Saúde

O envelhecimento da população e o aumento da demanda por serviços de saúde, as exigências de melhores padrões de qualidade e a sempre constante pressão por reduções de custos, mostram que as práticas de gestão atualmente empregadas nos hospitais precisam ser continuamente aprimoradas.


Por que o Lean HEALTHCARE na Saúde?

Quando bem implementado em Instituições de Saúde, a filosofia Lean Healthcare pode trazer inúmeros benefícios ao hospital, aos pacientes e aos colaboradores. Dentre os possíveis resultados, podemos citar o aumento da capacidade de realização de cirurgias, aumento da capacidade de internações, maior giro de leitos, maior giro de salas cirúrgicas, redução do tempo de espera de pacientes no Pronto Socorro, aumento do faturamento geral, redução dos níveis de estoque de Mat&Med, dentre outros.


O que diferencia esse curso dos demais?

A Hominiss Solutions é uma empresa de consultoria que possui inúmeros projetos no segmento hospitalar. Nesse sentido, o curso possui linguagem e exemplos  totalmente práticos voltados aos hospitais e operadoras de planos de saúde.


Por que ser especialista em Lean HEALTHCARE na Saúde?

Num cenário cada vez mais desafiador para hospitais e planos de saúde, profissionais capazes de realizar melhorias que conduzam essas organizações à excelência são extremamente requisitados. Ser especialista em Lean Healthcare o tornará um profissional diferenciado e extremamente necessário à sua organização.

1 ano Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 1 ano após a matrícula.

Este curso é uma ótima oportunidade para quem atua no ambiente da saúde e almeja ter uma visão geral e pragmática da utilização da filosofia Lean Healthcare .

O curso se destina a 4 públicos principais, porém cada público aplicará esse curso com abordagens diferentes. São eles:

Lideranças: destinado ao CEO, diretores e gerentes dos hospitais, que querem entender a aplicabilidade da filosofia Lean  em suas organizações, e como integrá-la a estratégia de seus hospitais e operadoras de planos de saúde.

Líderes ou membros de equipes de melhoria ou qualidade: profissionais que atuam nos ambientes hospitalares e que lideram ou são membros do time de melhoria contínua e que tem o interesse e necessitam se aprofundar na filosofia Lean aplicada à saúde.

Supervisores: profissionais que atuam no nível de supervisão e que irão auxiliar o processo de condução e sustentabilidade das melhorias que foram estabelecidas pela diretoria e implementadas pelos gerentes e pela equipe de melhoria contínua ou qualidade.

Estudantes: estudantes que tem como objetivo profissional ser o catalizador do processo de melhoria nos hospitais e operadoras de planos de saúde. 

Ronaldo Mardegan
""

RONALDO MARDEGAN (LinkedIn)

Ronaldo é Engenheiro de Produção pela USP (Universidade de São Paulo), Mestre em Engenharia de Produção pela USP, MBA Executivo Internacional pela FIA – USP, Certificado APICS (The Educacional Society for Resource Management), em Supply Chain Management e Certificado em Gestão de Negócios pela Universidade de Cambridge (UK) e pela Vanderbilt University (EUA).
Coordenou dezenas de implantações de Lean Enterprise em empresas dos mais diversos segmentos. É Black Belt em Lean Seis Sigma e Especialista em Lean Healthcare.


Hominiss Consulting
""


Cesar Augusto Campos de Araujo
""


Conteúdo Programático

O aumento da demanda por serviços de saúde, exigências de melhores padrões de qualidade e a sempre constante pressão por reduções de custos, mostram que as práticas de gestão atualmente empregadas nos hospitais precisam ser continuamente aprimoradas.

Desde 2002, o Lean Healthcare vem sendo utilizado por hospitais americanos, ingleses e canadenses, e essa prática tem trazido amplos benefícios a pacientes, colaboradores e aos hospitais como um todo. Atualmente, um grande número de hospitais ao redor do mundo está adotando essa filosofia voltada a eliminação de desperdícios no fluxo de valor.

Quando bem implementado, os conceitos de Lean Healthcare proporcionam para o hospital a prática da excelência operacional, gerando uma resposta mais rápida para o início do tratamento do paciente, aumentando a capacidade de atendimento e maior satisfação do paciente. Diferenciar o que é valor para um hospital é o primeiro passo para se iniciar um novo processo de gestão onde todos ganham: pacientes, médicos, enfermeiras, assistentes e o hospital em si.

O curso de Introdução ao lean healthcare visa contextualizar o aluno sobre os principais conceitos do lean aplicados em ambientes de saúde.
  • 1. Aula 1 - Introdução ao Lean Healthcare
  • 2. Aula 2 - Introdução ao Lean Healthcare
  • 3. Aula 3 - Introdução ao Lean Healthcare
  • 4. Aula 4 - Introdução ao Lean Healthcare
  • 5. Aula 5 - Introdução ao Lean Healthcare
A dificuldade em consolidar resultados através de melhorias

Cerca de 70% das indústrias americanas empregam a produção enxuta como método de melhoria e, no entanto, apenas 2% das empresas afirmam terem alcançado totalmente seus objetivos nesta jornada. Ainda, menos de 1/4 (24%) relatam alcançar resultados significativos.

Muitas empresas tentam simplesmente empregar algumas ferramentas da produção enxuta como forma de “carimbar” seu sistema como lean, sem entender as bases fundamentais da mudança em termos práticos e, também, de técnicas e estilo de gestão.

Mas, então, como podemos evitar a frustração de uma empreitada com resultados muito abaixo dos esperados e, o que é pior, tornando as pessoas refratárias à novas iniciativas de mudança e melhoria?



Princípios de gestão do maior fabricante do mundo

Inicialmente, precisamos entender que o Modelo Toyota consiste de princípios que nortearam uma empresa consagrada pela eficiência de seus processos, rigidez no controle de custos e alta produtividade. É extremamente útil conhecê-los e compreender quais deles se aplicam ao nosso negócio.

Eles fazem parte de um encadeamento que permeia todo o negócio, iniciando-se pela formação de uma visão de longo prazo (filosofia do sistema) para, em seguida, analisar e otimizar incansavelmente os processos visando a eliminação de perdas (por meio de 7 princípios).

A extensão dos princípios passa a desenvolver e desafiar as pessoas (funcionários e parceiros) para que vivenciem os princípios e formem lideranças que vivam a filosofia e, na sequência, construir diretrizes sistemáticas para aprendizagem e melhoria contínua.

Entenda os princípios de gestão do maior fabricante do mundo e a forma de administração que revolucionou seus resultados de produtividade e lucratividade!
  • 1. Trailer - O Modelo Toyota
  • 2. Aula 1 - Introdução ao Modelo Toyota
  • Prova módulo 1
  • 3. Aula 2 - Processo: eliminação de perdas
  • Prova módulo 2
  • 4. Aula 3 - Funcionários e Parceiros (People/ Partner): Respeitar, Desafiar e Desenvolver
  • Prova módulo 3
  • 5. Aula 4 - Solução de Problemas (Problem Solving): aprendizagem e melhoria contínua
  • Prova módulo 4
5 Etapas para a Melhoria Contínua e Transformação Organizacional de Empresas

Um projeto de mudança e transformação organizacional ocorre em ciclos compostos por 5 etapas de execução, onde o nome DMAIC corresponde a inicial de cada uma dessas etapas.

A fase “D” (Definir) foca na seleção de projetos de alto impacto e na compreensão de quais são os requisitos e objetivos do projeto. Nesta etapa do DMAIC são definidos os indicadores de resultado, o escopo do projeto, e a equipe do projeto.

A fase “M” (Medir) tem por objetivo entender detalhadamente a situação atual do fluxo definido. Para isso, mapeia-se o fluxo de valor da situação atual, identificando os problemas, desperdícios, gargalos operacionais, e a performance dos principais indicadores de desempenho relacionados ao fluxo.

Durante a fase “A” (Analisar), busca-se analisar quais são as causas raízes dos problemas identificados na situação atual e projetar uma situação futura mais eficiente. Para isso, uma série de técnicas de lean healthcare são empregadas.

A fase “I” (Implementar”) é a etapa de execução do projeto de situação futura construído na etapa anterior. Geralmente as implementações são realizadas através de Eventos Kaizen, em que equipes internas dos hospitais e operadoras de plano de saúde são formadas para que, em uma semana, cumpram um objetivo de mudança organizacional.

Por fim, a fase “C” (Controle) se refere a etapa de sustentabilidade das melhorias que foram implementadas. Essa fase é com certeza a etapa que exige maior dedicação e disciplina dos envolvidos.
  • 1. Aula 1 - Metodologia DMAIC
  • 2. Aula 2 - Metodologia DMAIC
  • 3. Aula 3 - Metodologia DMAIC
  • 4. Aula 4 - Metodologia DMAIC
  • 5. Aula 5 - Metodologia DMAIC
  • 6. Aula 6 - Metodologia DMAIC
  • 7. Aula 7 - Metodologia DMAIC
Quer resolver os problemas de um hospital?
Comece com um mapa!
Os hospitais, como qualquer tipo de organização, possuem inúmeros problemas e, sendo assim, muitas vezes não temos um direcionamento claro do ponto de partida para resolvê-los. Será que eu começo pelo pronto atendimento, a fim de tentar minimizar as filas que lá ocorrem? E a fila de espera para uma cirurgia, como resolvê-la? E os problemas associados à falta de leitos de internação, o que fazer? Por não termos uma visão clara do todo e uma visualização das relações de causa e efeito entre os problemas, corremos o risco de direcionarmos nossos esforços em soluções de baixo impacto para os pacientes e também para a organização.

Quer de fato entender os grandes problemas do seu hospital?
Então comece por um mapa. Geograficamente um mapa tem o poder de nos mostrar o caminho. Gerencialmente, ele tem o poder de nos dar uma visão do todo, e nos mostrar nossos grandes problemas. Em um ambiente hospitalar, olhar sob a perspectiva do paciente ajuda muito no processo de identificação de problemas. E é nesse sentido que um mapa de fluxo de valor deve ser desenvolvido: observando o fluxo do paciente pelas diversas etapas e atividades pelas quais ele é submetido no hospital.

Durante todo o tempo de permanência de um paciente em um hospital, ou seja, desde o momento em que ele entra doente pela porta de um hospital até o momento em que ele sai curado pela mesma porta a caminho de sua casa, o paciente realizou atividades que de fato contribuíram ao seu processo de transformação de paciente doente em paciente curado, como por exemplo, a atividade de realização de uma cirurgia ou o período de tempo em que ele esteve medicado. Por outro lado, existiram outras atividades que não transformaram o paciente doente em paciente curado. Por exemplo, as inúmeras esperas: o tempo de espera para ser atendido na recepção do hospital; o tempo em que o paciente levou para preencher um cadastro; ou o tempo em que o paciente esperou pela liberação da sala de cirurgia ou; após a cirurgia, o tempo em que o paciente esperou por uma medicação e, ainda, o tempo que o paciente já curado, esperou para receber alta do médico.

Um mapa de fluxo de valor irá lhe mostrar as atividades que transformam o paciente (de doente para curado) e as atividades que não transformam o paciente (tempos em filas e esperas). Reconhecer essas atividades e os tempos associados a elas é um passo importante para identificar os grandes problemas dos hospitais e iniciarmos um processo de solução dos mesmos. Então fica a dica: comece por um mapa!

Esse módulo irá lhe ajudar a entender como elaborar um mapa de fluxo de valor em ambientes de saúde e como aplicá-lo na prática.
  • 1. Aula 1 - Mapeamento do Fluxo de Valor Atual em Hospitais
  • Prova módulo 1
  • 2. Aula 2 - Mapeamento do Fluxo de Valor Atual em Hospitais
  • Prova módulo 2
  • 3. Aula 3 - Mapeamento do Fluxo de Valor Atual em Hospitais
  • Prova módulo 3
  • 4. Aula 4 - Mapeamento do Fluxo de Valor Atual em Hospitais
  • Prova módulo 4
Entender como eliminar os desperdícios e projetar um cenário futuro enxuto

Um grande problema para muitas organizações de saúde é não entender onde estão os desperdícios que estão encarecendo sua operação e tornando o tempo de tratamento do paciente mais demorado. Para isso, o primeiro passo é elaborar o mapa de fluxo de valor do estado atual. Ele o ajudará a enxergar como os pacientes, as informações e os materiais e medicamentos fluem dentro da Instituição e quais são os pontos de gargalo que mais impactam nos resultados esperados. Após ter clareza de como os processos atuais estão estruturados, devemos buscar projetar uma situação futura diferente, mais enxuta, mais eficiente e livre dos desperdícios atuais. Para isso, o mapa de fluxo de valor deve ser projetado.



O mapa de fluxo de valor futuro é o próximo passo

A construção do mapa de fluxo de valor futuro mostra aonde queremos chegar e quais melhorias organizacionais farão parte desse caminho.
A metodologia para o desenho de um mapa futuro e ainda exemplos claros de implantações de soluções serão dados neste módulo. Apresentaremos aqui as principais recomendações para a elaboração de um mapa de fluxo de valor futuro executável em ambientes hospitalares, exemplificando soluções baseadas nas ferramentas Lean.
  • 1. Aula 1 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 1
  • 2. Aula 2 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 2
  • 3. Aula 3 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 3
  • 4. Aula 4 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 4
  • 5. Aula 5 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 5
  • 6. Aula 6 - Mapeamento do Fluxo de Valor Futuro em Hospitais
  • Prova módulo 6
O Método A3
Cada vez mais somos inundados por uma quantidade avassaladora de informações e dados. Imagine, então, as lideranças das empresas e organizações? Estas pessoas são, afinal, os patrocinadores dos projetos de melhoria e os tomadores de decisão, que irão avaliar o desempenho de um projeto e, também, selecionar quais projetos de melhoria irão para frente e quais ficarão “engavetados”.

Inundá-los com dezenas de páginas de relatórios ou demoradas apresentações em estilo powerpoint não parece ser a abordagem mais eficiente neste cenário.

Além disso, do lado da organização, é importante ter um padrão de comunicação de ideias, projetos e soluções de forma estruturada e de fácil comunicação para que o conhecimento seja mais facilmente transmitido e compreendido por todos.

Mas, como fazer para produzir e comunicar de forma clara e sucinta uma melhoria ou solução de um problema?

Pensamento, técnica ou método A3
Apresentaremos o pensamento e a lógica de uma ferramenta conhecida como A3 (A3 Thinking) e compreender como usá-lo. Basicamente, isso permite que tenhamos as informações mais importantes em uma única folha de papel para que a ideia seja facilmente compreendida e facilite a tomada de decisão.

O pensamento A3 permite propormos e acompanharmos as melhorias dos processos sem perder de vista os resultados pretendidos como metas e alvos de desempenho.

A estrutura de raciocínio permite deixar claro quais são os objetivos e requisitos da proposta, encontrar a causa raiz do problema e propor cursos de ação (propostas de mudança) com seu respectivo plano de implantação e medidas de controle para verificar se os resultados pretendidos estão sendo alcançados ou medidas de correção precisam ser tomadas.

Entenda como ter um modelo de raciocínio para solução de problemas e, ao mesmo tempo, comunicar de forma clara, simples e visual as ideias de melhoria!
  • 1. Aula 1 - Introdução ao Pensamento A3
  • 2. Aula 2 - da Situação Atual até o Plano de Ação
  • 3. Aula 3 - Controle e Contexto
Sei quais melhorias posso fazer, mas quais abordar e como “tirá-las do papel”?

Você elaborou seu mapa de fluxo de valor atual, estudou muitas ferramentas lean e, finalmente, construiu seu mapa de fluxo de valor futuro, com toda a situação desejada para sua organização. É maravilhoso, não? Certamente é! Mas, e agora? Sua situação futura será apenas um belo quadro pendurado em sua parede?

Mais que isso, sua empresa precisa com urgência que as melhorias definidas no mapa sejam implantadas, trabalhadas e mantidas. Para isso, basta sair distribuindo ações, definindo responsáveis, comunicando tudo a todos e ao mesmo tempo? Não apenas! Sem planejamento e técnica adequados há uma grande chance de você não conseguir nada além do caos!



Vamos lá! Há uma ferramenta especial que irá ajudá-lo…

O Evento Kaizen é um eficiente meio de implantação de melhorias em sua organização, capaz de organizar, com uma metodologia clara e eficaz, as diferentes atividades e agentes de mudança na obtenção da situação futura desejada.

Desde a priorização dos problemas a serem tratados, até o cronograma de atividades, passando pela definição das equipes de trabalho, tudo é considerado nesta maneira única de conduzir melhorias!



Não erre ao implantar melhorias em sua organização!

Não deixe que as boas iniciativas que conduzirão sua empresa uma melhor situação futura percam-se por não serem corretamente implantadas. Prepare-se para conduzi-las da maneira mais eficiente através deste módulo, onde você terá acesso às melhores práticas mundiais de implantação de melhorias.
  • 1. Trailer - Evento Kaizen
  • 2. Aula 1 - Evento Kaizen 1
  • Prova módulo 1
  • 3. Aula 2 - Evento Kaizen 2
  • Prova módulo 2
  • 4. Aula 3 - Evento Kaizen 3
  • Prova módulo 3
  • 5. Aula 4 - Evento Kaizen 4
  • Prova módulo 4
  • 6. Aula 5 - Evento Kaizen 5
  • Prova módulo 5
  • 7. Aula 6 - Evento Kaizen 6
  • Prova módulo 6
Obter sucesso na sustentabilidade das melhorias implementadas no hospital ou na operadora de plano de saúde é, sem dúvida, a etapa mais difícil de todo o ciclo DMAIC de um projeto lean healthcare.

Pensando nisso, a Hominiss Consulting desenvolveu, ao longo de sua experi6encia, diversos mecanismos e técnicas que ajudam os gestores a dar continuidade no processo de melhoria no longo prazo e criar uma cultura de melhoria contínua.

O objetivo desse curso é justamente sumarizar os principais fatores críticos de sucesso que devem ser seguidos durante a condução de um projeto lean em hospitais e operadoras de plano de saúde.

Como ponto central para a sustentabilidade das melhorias, o curso traz a importância das pessoas, e como as organizações de saúde devem se planejar em termos de estrutura organizacional para a formação de equipes internas e capacitação.

Em torno das pessoas, estão estruturados 3 pilares fundamentais que darão suporte aos colaboradores para garantir a manutenção das mudanças ocorridas: sistema de gestão, método e ferramentas de controle.

Em termos de sistema de gestão, o Lean Management visa atingir os objetivos da organização por meio das pessoas, padronizando e descentralizando o processo de tomada de decisão, criando uma série de rotinas gerenciais pré-estabelecidas em torno de quadros de gestão visual.
Em termos de método, o curso apresenta brevemente como cada fase da metodologia de condução de projeto DMAIC está relacionada com a sustentabilidade de todo o projeto.

Por fim, em termos de ferramentas de controle, são apresentados conceitos sobre auditorias de sustentabilidade e indicadores de desempenho, essenciais para garantir que os novos padrões implementados sejam seguidos e os resultados esperados sejam gerados.

Valorize os esforços de melhoria de sua organização de saúde. Não permita que eles se percam!
  • 1. Aula 1 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 1
  • 2. Aula 2 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 2
  • 3. Aula 3 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 3
  • 4. Aula 4 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 4
  • 5. Aula 5 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 5
  • 6. Aula 6 - Sustentabilidade
  • 7. Aula 7 - Sustentabilidade
  • 8. Aula 8 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 8
  • 9. Aula 9 - Sustentabilidade
  • Prova - Aula 9
  • 1. Palestra 1 - Claudio Barban - Hospital Leforte
  • 2. Palestra 2 - Martha Oliveira - Anahp
  • 3. Palestra 3 - Ronaldo Mardegan - Hominiss Consulting
  • 4. Palestra 4 - Dr. Ivan Linjardi - Unimed São Carlos
  • 5. Palestra 5 - Dr. Carlos Frederico Pinto - Instituto de Oncologia do Vale
  • 6. Palestra 6 - Marcelo Ramos - Hospital Leforte
  • 7. Palestra 7 - Tiago Damasceno - Hospital Leforte
  • 8. Palestra 8 - Prof. Dr. JORGE OISHI - Statsol
O I Fórum Lean em Saúde no Rio de Janeiro reuniu diversas palestras de cases de implementação de lean em instituições de saúde.
Dentre elas podemos destacar:
• Focando na entrega de valor para o paciente
• Gestão de Estoque e Fluxo de Farmácia Hospitalar
• Envolvendo os médicos nas melhorias de processo
• A arte do pensamento enxuto: da teoria à prática
• Gestão lean: Do estratégico ao operacional
  • 1. Focando na entrega de valor ao paciente - Ronaldo Mardegan - Hominiss Consulting
  • 2. Gestão de Estoque e Fluxo de Farmácia Hospitalar - Dr. Jorge Bison e Maurício Cerri - Unimed Araras
  • 3. Envolvendo os médicos nas melhorias de processo - Dra. Cândice Vasconcellos e Ronald Munk - Rio Saúde
  • 4. A arte do pensamento enxuto: da teoria à prática - Edvaldo Bazílio - Grupo Acreditar
  • 5. Gestão Lean: do Estratégico ao Operacional - Antonio Rentes - Hominiss Consulting
O II Fórum Lean em Saúde em São Paulo reuniu diversas palestras de cases de implementação de lean em instituições de saúde.
Dentre elas podemos destacar:
• Metodologia para criação de uma cultura de melhoria contínua
• Gestão de Estoque Hospitalar
• Melhoria Contínua em uma empresa publica de saúde
• Aplicação do Lean Thinking no setor da saúde
• Criando a rotina de melhoria contínua em uma operadora de saúde
• A Cultura Lean na implementação da conta paciente
• Da Gestão Tradicional para o Lean Management
  • 1. Trailer - II Fórum Lean Healthcare de SP
  • 2. Metodologia para criação de uma cultura de melhoria - Ronaldo Mardegan - Hominiss Consulting
  • 3. Gestão de Estoque Hospitalar - Maurício Cerri - Unimed Araras
  • 4. Melhoria Contínua em uma empresa publica de saúde - Ronald Munk - Rio Saúde
  • 5. Aplicação do Lean Thinking no setor da saúde - Alex Silva - Hospital São Camilo
  • 6. Criando a rotina de melhoria contínua em uma operadora de saúde - Alisson Kuhn - Unimed Presidente Prudente
  • 7. A Cultura Lean na implementação da conta paciente - Edivaldo Bazilio - Grupo Oncologia D'Or
  • 8. Da Gestão Tradicional para o Lean Management - Antonio Rentes - Hominiss Consulting
Voltar ao topo